: +55 11 9 4201.4125 | 11 9 9116.9628
contato@capadociadigital.com.br
 
  • contato@capadociadigital.com.br
  • +55 11 9 4201.4125 | 11 9 9116.9628

Por que 60% das lojas virtuais fecham em menos de 1 ano?

Home » E-Commerce » Por que 60% das lojas virtuais fecham em menos de 1 ano?

Vimos em post recente aqui no blog que, embora o delicado momento econômico do país não favoreça, segundo pesquisa do Paypal, o e-commerce no Brasil continua crescendo, devendo movimentar este ano cerca de R$ 81,3 bilhões e R$ 92,9 bilhões em 2016, o que significa um crescimento anual próximo dos 14%.

Certamente, esse é um cenário bastante animador para os empresários que estão pensando em investir em lojas virtuais, ou já praticam algum tipo de comércio eletrônico. Porém, ao contrário do que pensa a maioria, trata-se de um setor que, sim, deve ser visto como uma excelente oportunidade de gerar lucro, mas que possui dificuldades semelhantes a qualquer outro negócio físico.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que cerca de 60% das lojas virtuais fecham antes mesmo de completar um ano.  A euforia em volta do  grande crescimento desse mercado, com empresas saindo do zero para se tornarem gigantes de faturamento e líderes no setor, faz com que pessoas se aventurem a investir em lojas virtuais sem o devido preparo e acabam perdendo dinheiro.

Assim como as compras na internet veem aumentando enormemente, o número de sites de e-commerce também cresceu muito nos últimos anos. Um levantamento realizado este ano pelo PayPal e BigData Corp., mostra que o comércio eletrônico brasileiro têm aproximadamente 450 mil e-commerces ativos. Ou seja, a concorrência já é bastante alta.

Apesar desta enorme concorrência, os principais fatores de dificuldade para a criação de um loja virtual lucrativa são aspectos voltados ao marketing digital. Comparado a um estabelecimento físico, o e-commerce é muito tentador, pois, as barreiras de entrada são pequenas e em poucos dias é possível montar uma loja virtual com uma das diversas plataformas prontas que existem no mercado, cadastrar produtos e começar a vender.

No entanto, entre “Criar uma loja” e “Começar a Vender” existe um grande caminho a ser percorrido, e esse é o principal deslize dos lojistas. Diferente de uma loja física, que dispõe de pessoas a passar em sua frente todos os dias, a loja virtual recém criada dificilmente será vista por alguma pessoa “por acaso”. Nesse sentido, comparar o preço do aluguel de um comércio físico a uma plataforma de e-commerce é totalmente inviável. Porque, ao pagar pela locação de um ponto de venda, você está recebendo em troca, não só o espaço em sí, mas principalmente a visibilidade e as pessoas que passam por ela, pois quanto mais pessoas a veem, mais elas compram, logo, quanto mais bem localizado o imóvel mais caro ele é.

Em contrapartida, ao pagar por uma plataforma de e-commerce você só está recebendo o espaço para inserir seus produtos. Não existem pessoas passando por ela, a menos que você faça algum tipo de divulgação.  As redes sociais e o e-mail marketing são os meios mais convencionais que lojistas despreparados utilizam para gerar algum tipo de visibilidade para seus produtos. Teoricamente esses são meios eficientes de gerar vendas, porém deve ser feito de forma profissional.

Criar uma página no Facebook ou em qualquer outra rede social, convidar os amigos e amigos de amigos para curtir e seguir, e sair postando propaganda de forma massiva, sem nenhum tipo de estratégia, pode até gerar algumas vendas, mas nada de muito rentável para seu negócio. Da mesma forma, sair enviando spans para grupos nas redes sociais e e-mails desconhecidos também são práticas que não irão gerar resultados.

Aparecer no Google também é uma das formas que os varejistas digitais consideram uma forma de gerar vendas, o que é um raciocínio completamente correto. Acontece, entretanto, que grande parte das pessoas não passam da primeira página em suas pesquisas, o que requer que qualquer loja que queira gerar vendas pelo Google, fatalmente, esteja nas primeiras posições das pesquisas. E para que isso ocorra é necessário estratégias de Marketing Digital.

Em resumo, para que uma loja virtual gere resultados rentáveis em meio a grande concorrência que já existe atualmente na internet é necessário um minucioso planejamento para alinhar o posicionamento da marca frente aos seus concorrentes, para que ela tenha diferenciais competitivos e não seja mais uma vendendo mais do mesmo e ser “engolida” pelos grandes players do mercado que já possuem enorme reputação junto aos seus clientes.

A partir de um planejamento bem realizado, é necessário também um investimento em estratégias de divulgação profissionais para gerar visibilidade suficiente e comunicar os diferenciais da loja a fim de que ela possa atrair um número de compradores que faça a loja alcançar resultados de excelência. Todas essas etapas fazem parte de um projeto de Marketing Digital, isto é, técnicas, estratégias e ferramentes para direcionar o melhor posicionamento para uma loja e divulgá-la de maneira eficiente. O alinhamento desses dois aspectos, certamente, irá gerar muitas vendas para qualquer e-commerce.